sábado, 17 de fevereiro de 2018





Taça Quebrada
Sol poente
Águas paradas, 


Garganta devastada,
Pálpebras, ossos,
E espinhos da loucura.


Os pés seres plasmados
Inconcreta criação

Hibernação, e barbatana de couraça.

O pêndulo refletiu no espelho
Geografias de buraco negro.


Dora Dimolitsas

domingo, 11 de fevereiro de 2018











No Brasil hoje é carnaval
O povo nas ruas alimenta
A alma e o coração,



La em Brasília no silêncio da noite
Os ratos fazem a festa
E do bolso do povo tiram sem contemplação

Aproveitam-se da praça cheia do povo alegre
A extravasar sua amarga lembrança
Da falta de governar, naqueles que só fizeram roubar



Acredito que eles não lembram da Bastilhas
Que um dia muitas cabeças a rolar
Transformaram uma outra nação



Já cansada de tanto apanhar.
O governador da Bastilha ainda procuraria
Negociar com a multidão enfurecida,
E tudo foi incendiado.



 Dora Dimolitsas