terça-feira, 23 de maio de 2017








 Hoje, eu não farei um poema comum, farei um tributo. A vida.

                     Há certos momentos que nossos sentimentos parecem morrer, chegamos tão profundo dentro de nós mesmos, que acabamos percebendo, o quanto convive com mundos diversos.
                    Muitos corações cada um com suas razões, cada um com suas reclamações, alegrias, tristezas, e principalmente, na busca pessoal de aperfeiçoamento, muitas pessoas sofrem tanto que chega a ficar doente de raiva, magoas dores que vão afetando o seu coração.
                   O seu amor pela vida pelas as pessoas, destruindo, e obstruindo dentro dele (a) aquela alegria aquela luz que a todos encanta, sem perceber que a vida é tão rápida tão fugaz que quando percebemos já foi, já passou.
                   Muitas pessoas deixam de dizer Eu te amo, e em cinco minutos não tem mais a chance.
Muitas pessoas acreditam que se ferindo, ou ao outro estão se ferindo o bastante, para aprender a se negar o que acredita lhe ser impossível alcançar, por impossibilidades das circunstâncias do dia a dia.
Respeitar cada mundo cada sentimento, entender todas as pessoas é uma tarefa muito difícil.
Algumas vezes a vida vira uma tragédia em um minuto, o que acaba deixando quem fica, totalmente impossibilitado de entendimento.
               Paralisando as suas possibilidades, obstruindo aquela Luz que explode a cada dia iluminando seus passos seus movimentos.
               É. Existem momentos que somente o silencio fala por nós, momentos em que o silencio têm sua linguagem tão profundamente clara. Que nós obriga a reflexão.
               Gostaria de ter sempre uma resposta, mas quem as tem.
Por isso choramos por isso ficamos atônitos diante de nossos próprios erros, procuramos formas de melhorar de nos aperfeiçoar.
               Morremos a cada dia, então porque não vivemos com toda força, a vida que temos, porque desperdiçar com lamurias com tristezas, rancores, dores inútil, amanhã será difícil dizer me perdoa, amanhã o outro estará magoado demais para aceitar suas desculpas, ferido demais para, saber que as desculpas são de alma de coração aberto, muitos se enganam se esconde, enganam.
             E nem percebem que passam ,como todo ser vivente.
Há a vida; quisera ser capaz de explodir em luzes; para apagar todas as dores, toda a magoa, todos os rancores.
 DORA DIMOLITSAS





domingo, 21 de maio de 2017

 
 
  Esta tarde eu vi
  Muitas árvores da Paulista cortadas.
  E a terra removida.

  Lá no infinito,
  A senhora do mundo observa
  O padecer de Gaia, 

A senhora mãe terra,
Que geme as dores
No planeta azul.

Os pássaros cantarolando,
No revoar das borboletas
Sobre o brilho das estrelas e do luar...
 
A senhora do mundo
Com seu toque protetor
Observa em silêncio 

Sabe que o homem
Poderá detonar 
O planeta azul.
                               Doroty Dimolitsas