terça-feira, 1 de janeiro de 2008

SONINHA POESIA: VONTADE



SONINHA POESIA:
VONTADE


Não quero ver
olhos sem luz
ossos à mostra
nos corpos da fome
por entre os valões

Não quero ver
sangue correndo
no peito de amigos
e muito menos
dos inimigos
jorrando como borrões

Não quero ver
bombas no ar
nos céus das cidades
que matam pais e filhos
que vivem nos porões

Não quero ver
mesmo que cheio de motivos
pequenos passeando
por entre os canhões

quero ver
sorrisos de crianças
na mesa de negociações


quero ver
a poesia desfilar
gloriosa
de bandeira das mãos.


Soninha Porto

domingo, 30 de dezembro de 2007

Dia Mundial da Paz.





O mundo anuncia o brilhar de novos dias.
O mundo anuncia o brilhar de novos dias.
Esperança de novas perspectivas
No entanto o homem continua a se matar.

Nada aprendeu, desde o homem de Nazaré.
No Iraque e vários outros lugares do mundo, explosões matam diariamente, bombas explodem coladas ao corpo humano.
Homens suicidas detonam carros.
Sobreviver em Bagdá hoje é uma aventura.
Este lugar que poderia ser um exemplo para o mundo.
Local com relatos da história do homem, relatos bíblicos falam tanto, contando histórias que ficou em nossa memória.
Os Estados Unidos continua marcando presença no país, no entanto, as lutas de facções matando como se o homem fosse gado,continuam; nesta terça feira umas 30 pessoas morreram, envolvendo homens bombas no Iraque, carros explodindo, crianças morrendo, onde anda os direitos humanos? As ajudas internacionais? Até quando será permitido os homens tratarem-se como inimigos? Matando uns aos outros, até quando?
Paises como Iraque servem de palco para o mundo sentar e apreciar como se estivesse na arena?
Crianças desnutridas como na áfrica, morrendo de fome, eu disse fome!Alguns construindo palácios no deserto. Desviando o curso do mar.
O mundo se globalizou e senta-se na platéia para ver os homens matarem-se. Lamentável...
Neste mundo de homens que se autodenominam animais racionais
Eu me pergunto onde está a racionalidade humana? Em nome de Deus, da fé.
Os absurdos são cometidos e tolerados, Crianças são mortas.
Largadas os pedaços na rua outras morrendo de fome.
Peço as autoridades do mundo, olhai para o seu próximo.
Olhai para as crianças que estão precisando de uma nova educação, precisam perder a idéia que homens devem matar-se.
Neste novo ano meu apelo como Poeta Del-Mundo, em meu nome como cidadã. Não permitam estes absurdos que vão contra a moral e à lógica.
De fé. Apelo àqueles que têm autoridade e autonomia vão salvar o homem de si mesmo.

Doroty.Dimolitsas