sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Noite ---------------------------- A luz avança sobre a noite, o chicote enrosca –se no crânio, deixa o cérebro exposto sobre retorcidos caracóis, percorrendo a espuma do abismo. Sobre faíscas rotativas, Brotam galhos da frondosa árvore com intensas dores abdominais a cachoeira vinda dos olhos, É o alimento para os frutos , em forma de ovos estalados. A árvore, com suas fortes raízes fincadas ao chão, balança com grande agonia, um esforço sobre-humano, a ajuda não chega... E do ventre que sangra, a vida se extinguiu. A noite voltou. Doroty B J Dimolitsas

terça-feira, 8 de novembro de 2011

LANÇAMENTODO LIVRO DO CONDE THIAGO DE MENEZES OS PIONEIROS DO ROCK
Bela festa das crianças e aniversario do meu amigo Melly na Escola de samba Rosas de Ouro

domingo, 6 de novembro de 2011

Zumbi nasceu no início de 1655, numa das aldeias do Quilombo de Palmares. Com poucos dias de vida, ele foi capturado por soldados portugueses comandados por Brás da Rocha Cardoso. O garoto foi entregue ao padre português Antônio Melo, que o batizou com o nome de Francisco. O padre ensinou Zumbi a ler e escrever em português e latim. Quando tinha 15 anos, Zumbi fugiu da casa do padre e voltou para o Quilombo de Palmares, trocando seu nome cristão de Francisco pelo nome africano Zumbi. Ele se tornou um grande guerreiro e estrategista militar na luta para defender Palmares contra os soldados portugueses. Porém, em 1678, Ganga-Zumba, então o chefe do quilombo, assinou um acordo de paz com o governo de Pernambuco. A decisão não foi aceita pelos quilombolas e Zumbi rompeu com Ganga-Zumba e se transformou no grande chefe. Durante os anos de 1680 a 1691, Zumbi conseguiu derrotar todas as expedições enviadas contra o Quilombo dos Palmares. O guerreiro só foi capturado no dia 20 de novembro de 1695. Traído por um dos seus comandantes, Antônio Soares, Zumbi foi morto, esquartejado e teve a sua cabeça exposta em praça pública na cidade de Olinda, em Pernambuco. Uma lei federal de 2003 instituiu na data da morte de Zumbi o Dia da Consciência Negra.

O Pilar,